Tipos de Voto – Voto Preso, Válido, Branco e Nulo: saiba as diferenças

Votar nem sempre é algo que as pessoas costumam gostar, principalmente pela responsabilidade, pela discussão política que tem surgido nos últimos anos ou apenas porque não querem ter o trabalho de sair de casa.

Você sabia que existem diferentes tipos de voto? Hoje vamos abordar aqui quais são esses tipos existentes, dessa forma, não restará dúvidas tanto na hora de votar quanto no momento de discutir com alguém sobre essas possibilidades.

Tipos de votos existentes: quais são eles?

Tipos de votos existentes: quais são eles?

Voto branco

Segundo o site do TSE, o voto branco é aquele em que o eleitor não possui preferência por nenhum candidato. Antes que a urna eletrônica existisse, era comum que na hora de votar apenas não se assinalasse a cédula. Hoje é necessário que se vote a opção “branco” e depois “confirma”.

Voto nulo

O voto nulo é aquele considerado pelo TSE em que o eleitor possui vontade de anular seu voto, nesse caso, é necessário digitar o número inexistente do candidato, como por exemplo “00”, clicando depois em “confirma”.

O voto em branco é visto como se o eleitor não se importasse com quem ganha, já o voto nulo é considerado como aquele em que o eleitor não concorda com nenhum candidato, registrando seu voto de protesto.

Voto válido

São considerados os votos válidos aqueles que possuem nominação e legenda, eliminando os brancos e nulos. A contagem dos votos da eleição elege aquele que tiver a maioria dos votos validos, mesmo diante dos votos excluídos, brancos e nulos.

Então, mesmo como muito se diz por aí, caso a eleição tenha mais da metade dos votos nulos, não será possível cancelar a eleição.

Os votos brancos e nulos são conhecidos como uma forma de manifestação do eleitor, sem nenhuma serventia real para o pleito eleitoral. Dessa maneira, não importa qual dos dois você escolha, eles não serão aplicados na contagem oficial.

Voto de presos: como funciona?

É importante saber que os presos que possuem condenação criminal que já foi julgada, tem seus direitos políticos cassados até que o prazo da pena seja cumprida, dessa forma, não estarão possibilitados de votar durante a pena.

Já os presos considerados provisórios não perdem este direito, ou seja, aqueles que ainda não foram julgados possuem sim, o direito de votar.

Como justificar meu voto?

Como justificar meu voto?

Já sabe que não vai conseguir comparecer a votação desse ano? Então é necessário se preparar para justificar esse voto, seja por não estar em seu local de domicílio ou por demais questões. O eleitor que estiver nessa situação possui o prazo de 60 dias para mostrar sua justificativa em qualquer cartório eleitoral, porém o mais indicado é que o eleitor vá até um ponto de justificativa e preencha no local o formulário de justificativa.

Funciona assim, o eleitor precisa ir até os cartórios eleitorais, ou em postos de atendimento ao eleitor, ou nas páginas da internet do Tribunal Superior Eleitoral ou nos Tribunais Regionais Eleitorais, lá ele deverá preencher todo o Requerimento de Justificativa Eleitoral – RJE. É necessário estar com um documento com foto.

É importante preencher esse documento corretamente, visto que do contrário, não contará como justificativa. Ah, você também vai precisar do seu número de título de eleitor – deixe anotado em algum lugar caso não esteja em seu domicílio, será necessário preenchê-lo na hora.

Título cancelado

O título de eleitor só é cancelado caso o eleitor não tenha comparecido nas três últimas eleições, não tenha justificado sua ausência e também não queira quitar essa pendência. É importante destacar que cada turno conta como uma eleição.

Os riscos de não ter seu título em ordem traz muitas outras consequências, veja abaixo mais sobre elas:

  • Não será possível tirar passaporte ou carteira de identidade;
  • Não é possível receber salário ou outras ações relacionadas a empregos públicos;
  • Não estará autorizado a receber empréstimos, crédito ou outros serviços monetários relacionados ao governo;
  • Se inscrever em serviços ou concursos para cargos públicos;
  • Executar qualquer ato que seja necessário quitação do serviço militar ou imposto de renda;
  • Ter a certidão de quitação eleitoral;
  • Ou qualquer tipo de documento dentro das repartições diplomáticas ou relacionadas.

Deixe seu Comentário

WebGo Content